Esteve em Cabo Verde, de 11 a 15 de junho, uma equipa de técnicos de saúde portugueses da área de medicina e de enfermagem com elevada experiencia, para apoiar a equipa de neurologia do Hospital Dr. Agostinho Neto (HAN) na implementação do projeto piloto da Via Verde do AVC (VVAVC), através da formação dos técnicos de saúde nacionais, da definição de circuito da VVAVC, da utilização de ferramentas de registos, da interpretação de imagens de tomografia computadorizada, entre outras atividades.

288463681 5279079852138967 4234292123611877740 nA missão do Centro Hospitalar Universitário do Porto (CHUP) e do Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira (Sesaram), possibilitou a realização da primeira trombólise em Cabo Verde com sucesso numa senhora de 64 anos de idade com AVC, tendo sido utilizado o alteplase, medicamento eficaz e seguro atualmente disponível no país para este fim. Este medicamento possibilita o tratamento do AVC isquémico agudo, com a recuperação total ou parcial das sequelas, como por exemplo, a perda da fala e a perda da força muscular de um dos lados do corpo, evitando também a morte por este motivo.

Esta missão enquadra-se no âmbito do Programa do Governo para o sector da saúde que tem trabalhado para disponibilizar os recursos necessários para a implementação do projeto de diagnóstico e intervenção rápida para os Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC), tendo em conta o peso que os AVC têm na morbi-mortalidade do país. As melhores evidências científicas disponíveis demonstram que o atendimento adequado, rápido e bem estruturado aos doentes com AVC reduz a mortalidade e a morbidade dos mesmos.

Segundo a Direção Nacional da Saúde, a implementação da VVAVC é uma intervenção transformadora e com grande impacto na saúde do país, tendo em conta que o AVC é uma das principais causas de incapacidade de pessoas em Cabo Verde e é a principal causa de morte no país há vários anos.

Entretanto, para o efetivo sucesso deste tratamento, é necessário o rápido reconhecimento dos sinais e sintomas do AVC, ou seja, uma pessoa que apresenta, de repente, dificuldade em falar, boca ao lado e falta de força num braço, deve ser levado imediatamente ao serviço de urgência hospitalar, pois o alteplase só é eficaz até quatro horas e meia a partir do momento do AVC.

O objetivo principal agora é analisar a melhor forma de alargar a implementação da VVAVC a outros hospitais de Cabo Verde, o que deve ser feito sempre com respeito às normas de segurança e de qualidade no cumprimento dos procedimentos necessários, para que se possa alcançar os resultados esperados.

289568276 3147292972250457 51303080236338354 n

 
 
Ministério da Saúde
Palácio do Governo - C.P nº 47
Cidade da Praia
Ilha de Santiago - Cabo Verde
Direitos de autor © 2022 Ministerio da Saúde. Todos os direitos reservados.