O Ministério da Saúde assinalou como várias atividades o dia da Doação de Leite Humano, celebrado a 19 de maio, este ano sob o lema ““𝘿𝙤𝙖𝙘̧𝙖̃𝙤 𝙙𝙚 𝙇𝙚𝙞𝙩𝙚 𝙃𝙪𝙢𝙖𝙣𝙤: 𝙂𝙤𝙩𝙖𝙨 𝙙𝙚 𝘼𝙢𝙤𝙧, 𝙥𝙖𝙧𝙖 𝙪𝙢 𝙢𝙪𝙣𝙙𝙤 𝙢𝙚𝙡𝙝𝙤𝙧.”

De entre as várias atividades realizadas, o Programa Nacional da Nutrição em parceria com o Banco de Leite Humano do Hospital Dr. Agostinho Neto, e a UNICEF realizaram conversas abertas sobre o Aleitamento Materno (AM) e doação de leite nos Centros de Saúde de Achada Santo António, Ponta D’Agua e na Delegacia de Saúde de Santa Cruz, destinados a profissionais, grávidas e mães que amamentam.

image processing20200201 29235 1yo9u7xO Ato Central tem lugar nesta sexta-feira, 20 de maio na maternidade do Hospital Dr. Agostinho Neto com as mães doadoras de leite humano e do frasco bem como os parceiros do BLH.

O Objetivo destas atividades e da efeméride é sensibilizar e estimular a doação de leite materno e de frascos, divulgar o Banco de Leite Humano do HAN e dos Postos de Colheita de Leite

Humano, bem como promover debates sobre a importância do aleitamento materno e da doação de leite humano.

A data representa um momento especial de sensibilização da sociedade para a importância da doação de leite humano, assim como, uma iniciativa a mais para a proteção e a promoção do aleitamento materno.

O leite materno é a primeira alimentação humana e fonte de nutrientes para as funções biológicas, sendo considerado o melhor alimento para os bebês, por ter papel muito importante na proteção imunológica contra doenças infeciosas, na adequação nutricional e no desenvolvimento afetivo e psicológico. Devido à sua composição nutricional balanceada, é considerado um alimento completo e suficiente, inclusive em água, para atender as necessidades nutricionais da criança durante os seis primeiros meses de vida.

De entre os principais benefícios do leite materno destacam-se o seguinte:

– protege a criança contra diarreias, infeções respiratórias e alergias;
– reduz em até 13% a mortalidade em crianças menores de 5 anos;
–  reduz o risco de desenvolver hipertensão, colesterol alto, diabetes e obesidade na vida adulta;

Qualquer quantidade de leite materno doada pode ajudar. Toda mulher que amamenta é uma possível doadora de leite humano, basta ser saudável e não estar usando nenhum medicamento que interfira na amamentação. 

Em Cabo Verde o aleitamento materno é garantido nas estruturas de saúde que realizam os partos na primeira meia hora após o nascimento, e é recomendado e incentivado amamentação exclusiva até aos 6 meses e complementar até aos 2 anos de idade. Essas recomendações são implementadas através de varias iniciativas e estratégias de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno, nomeadamente a iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC), o Código de Comercialização dos Substitutos do Leite Materno (CCSLM), a Criação de Banco de Leite Humano (BLH) e Postos de Colheita de Leite Humano (PCLH) e Legislação sobre Licença de Maternidade.

De acordo com os dados do IDSR III de 2018, a taxa de aleitamento materno exclusivo até aos 6 meses de idade em Cabo Verde era de 35%. Este inquérito relevou também uma melhoria significativa neste indicador, sendo que 41,8% das crianças dos 4 a 5 meses não ingere outro tipo de alimento a não ser leite materno, enquanto que esta proporção era de 28% em 2005.

Existem em Cabo Verde 1 banco de leite humano no Hospital Dr. Agostinho Neto, 3 Hospital Amigo da Criança (Hospital Dr. João Morais em Santo Antão, Hospital Dr. Santa Rita Vieira em Santiago Norte e Hospital Dr. Baptista de Sousa em São Vicente).

arton146962

 
 
Ministério da Saúde
Palácio do Governo - C.P nº 47
Cidade da Praia
Ilha de Santiago - Cabo Verde
Direitos de autor © 2022 Ministerio da Saúde. Todos os direitos reservados.