A sessão de formação dos inquiridores e agentes de terreno iniciou ontem 16 de novembro na cidade da Praia e foi presidido pelo Secretário de Estado Adjunto do Ministro da Saúde Evandro Monteiro que considerou que este inquérito vai proporcionar informações adequadas sobre a situação atual das parasitoses a nível nacional e oferecer dados comparativos de análise orientadora sobre o impacto das medidas e políticas sanitárias ligadas à irradicação das patologias associado a cariz deficitário nutricional.

IMG 3415Evandro Monteiro salientou ainda que Cabo Verde tem dado uma boa resposta à problemática das parasitoses e distúrbios ligados à carência de iodo, com enfoque no tratamento preventivo da população infantil nos jardins de infância e escolas do ensino básico obrigatório cujo objetivo é facilitar e promover um desenvolvimento saudável e adequado deste grupo etário, com subsequente impacto no desenvolvimento intelectual e aprendizagem dos mesmos.

Segundo a coordenadora do inquérito, Dulcineia Trigueiros, este inquérito visa conhecer a situação da prevalência das parasitoses e distúrbios devido a carência de iodo em Cabo Verde e vai ser a nível nacional, em todos os concelhos, abrangendo 65 jardins e 66 escolas, compreendendo crianças nos jardins (de 4 e 5 anos) e escolas do ensino básico (1º ao 6º ano).

Para a Diretora Nacional da Educação, Eleonora Monteiro, conhece-se que a carência do iodo tem consequências na saúde mental das crianças, provocando distúrbios mentais. Daí considerou que quanto mais cedo forem prevenidos melhor.

O Inquérito sobre a Prevalência das Parasitoses Intestinais e Distúrbios Devido a Carência em Iodo (IPPI-DDCI 2021) é uma iniciativa da Direção Nacional de Saúde através dos Programas Nacional de Nutrição e de Escolas Promotoras de Saúde em parceria com a OMS o INE e a Unicef e vai decorrer de 22 de novembro a 10 de dezembro de 2021.

A desparasitação em massa vem sendo implementada em jardins de infância e escolas do ensino básico, desde 2007. Com os resultados do inquérito sobre a prevalência das parasitoses intestinais em Cabo Verde, realizado em 2012, verificou uma diminuição da prevalência de helmintos de 50% para 21%, o que levou à redução das campanhas anuais de desparasitação de duas para uma, de acordo com as orientações da OMS. Em relação à carência de iodo, segundo o inquérito realizado em 2010 a prevalência do bócio global passou de 25% para 7,6% e o bócio visível 5% para 0,8%.

Ministério da Saúde e da Segurança Social

 
Palácio do Governo - C.P nº 47
Cidade da Praia
Ilha de Santiago - Cabo Verde
 
Direitos de autor © 2021 Ministerio da Saúde. Todos os direitos reservados.