O Ministro da Saúde e da Segurança Social, Arlindo do Rosário garantiu esta quinta-feira, 14 de novembro, que a análise dos indicadores de saúde de Cabo Verde, particularmente da saúde materna e infantil, “tem demonstrado, ao longo dos anos, uma tendência globalmente positiva”. Afirmação feita durante a cerimónia de abertura do Atelier de restituição da avaliação da qualidade dos cuidados de saúde materna, neonatal e infantil em Cabo Verde, que teve lugar na Cidade da Praia.

 Durante a sua intervenção, enalteceu que “nos últimos anos um período mais recente, a taxa de mortalidade infantil que era de 20,3/mil em 2014 passou para 13/mil em 2018, tendo atingido a meta prevista para 2021. A Mortalidade neonatal precoce de 10,8%o para 6,3%o, taxa de mortalidade perinatal de 25‰ para 19,1‰”.

 Segundo Arlindo do Rosário, apesar da alta taxa de cobertura pré-natal e de partos assistidos, “é preciso, no entanto, que não percamos de vista um facto extremamente importante: mesmo com a melhoria do acesso a serviços de pré-natal e assistência ao parto, com cerca de 98% de mulheres a dar à luz em estabelecimentos de saúde e onde são assistidas por profissionais habilitados, isso só não bastará para atingirmos os nossos objetivos de redução da mortalidade materna e neonatal”.

 “São ganhos importantes, consistentes e que espelham por um lado a importância que os sucessivos governos têm dado ao setor da saúde, mas, e sobretudo a grande contribuição e envolvimento dos profissionais de saúde” considerou o ministro.

Entretanto, face aos desafios e constrangimentos existentes na área da mortalidade infantil e materna, explicou o governante que o país precisa institucionalizar a investigação de todas as mortes maternas e infantis, à semelhança dos países que conseguiram reduzir drasticamente a mortalidade materna e infantil.

 Na ocasião, enalteceu ainda a necessidade de trabalhar no reforço da organização assistencial em rede, com acesso universal, precoce e sem barreiras a um pré-natal de qualidade e garantia de competente atendimento, na estruturação e organização adequadas dos serviços assistenciais, “prover as estruturas com mais recursos humanos, mais formação, mais tecnologias de saúde, para melhorar o acesso e equidade na prestação de cuidados”.

  De salientar, que este atelier de restituição da avaliação tem como objetivo de socializar os resultados preliminares da avaliação e das estruturas envolvidas, com vista ultrapassar as lacunas encontradas. Esta atividade acontece na sequencia da avaliação da qualidade dos cuidados de saúde materna, neonatal e infantil realizada a nível nacional, em várias estruturas de saúde, no mês de outubro do corrente ano.

foto Atelier de restituição da avaliação da qualidade dos cuidados de saúde materna

 

 
 
Ministério da Saúde
Palácio do Governo - C.P nº 47
Cidade da Praia
Ilha de Santiago - Cabo Verde
Direitos de autor © 2022 Ministerio da Saúde. Todos os direitos reservados.