Cabo Verde acolhe as comemorações do 25º aniversário da criação da Organização Oeste Africana da Saúde (OOAS), celebrado no dia 09 de Julho de 2012, este ano, sob o lema: Reforma do Sistema de Informação Sanitária: um desafio para a tomada de decisões informadas”.

 

A Ministra-adjunta e da Saúde, Dra.Cristina Fontes, presidiu o acto central do 25º aniversário da criação da OOAS, hoje, dia 10 de Julho de 2012, às 11h, na sala de Reuniões do Ministério da Saúde.

De salientar que Ministra, manifestou o seu contentamento, e agradeceu a organização pelo facto ter escolhido Cabo Verde como palco desse acto simbólico.

Para a Ministra “a escolha do lema é mais uma prova da determinação, por parte dos Estados Membros da CEDEAO em, conjuntamente, investirem na implementação de Sistemas de Informação Sanitária, que possam gerar dados fiáveis, que suportem a nossa acção em prol da Saúde na região da África Ocidental, em particular e no mundo em geral, pois tratando-se de questões de Saúde o planeta não conhece fronteiras”.

 

Para o Director Geral da OOAS, Dr. Plácido Cardoso, as prioridades do ano 2012/13 são as mesmas que constituem o segundo plano estratégico (2009 a 2013) são actividades do programa estratégico referente a este plano, actividades relacionadas à harmonização das políticas da saúde; à medicina tradicional; ao recurso de sistema de informação sanitária; ao reforço da pesquisa em saúde, ao controlo de doenças na sua globalidade; à identificação da fusão das boas práticas em saúde nos diferentes domínios dos problemas prioritários da saúde pública; e à diversificação dos mecanismos de financiamento.

Afirma que está a ser analisado com os países modelos mais apropriados para o financiamento dos serviços de saúde e o desenvolvimento institucional da própria organização, pois a organização tem que se adaptar às exigências desses países para a melhoria de qualidade sanitária e para o desenvolvimento do sistema sanitário global.

Todavia, o sistema de informação sanitária é o pilar principal, pois sem um bom sistema de informação sanitária fiável que reflecte a realidade a nível dos países da região no geral, muito pouco se pode fazer em termos de planificação e de execução, seguimento e avaliação dos programas de saúde, confirma Cardoso.

Por isso, assegura ser de estrema importância para a organização dar prioridade ao reforço de sistema de informação sanitário, uma vez que este ano graças ao esforço consentidos pelos países que fazem parte da OOAS e em colaboração com os parceiros pode se elaborar a política e a estratégia de reforço do sistema de informação sanitária para os 15 países da CEDEAO.

 

O orçamento varia de acordo aos programas estabelecidos de ano a ano, cerca de 90% do financiamento para as actividades da organização são provenientes da comissão da CDEAO a partir da contribuição dos países. O resto é alimentado a partir da colaboração das convenções financeiras que a organização tem com alguns dos parceiros de desenvolvimento, como é o caso da cooperação alemã, um programa de domínio de saúde reprodutiva e do combate ao VIH Sida no valor de 10 milhões de Euros para 5 anos, que está no seu segundo ano de implementação.

 

Quanto à organização o Director Geral faz um balanço bastante positivo, pois acredita que a organização está mais próximo dos países. E através das duas propostas de mudanças já em execução em termos estruturais e organizacionais, permitirá realmente a OOAS estar melhor preparado para responder às exigências dos países.

 

Ministério da Saúde e da Segurança Social

 
Palácio do Governo - C.P nº 47
Cidade da Praia
Ilha de Santiago - Cabo Verde
 
Direitos de autor © 2019 Ministerio da Saúde e da Segurança Social. Todos os direitos reservados.