O Ministro da Saúde de Portugal, Adalberto Carlos Fernandes, encontra-se em Cabo Verde desde o dia 15, numa visita de quatro dias à Cabo Verde a convite do homólogo Cabo-verdiano, Arlindo do Rosário, tendo como objetivo fortalecer as cooperações na área de saúde entre os dois países.

 

A visita começou em São Vicente, ilha que brevemente passará a contar com um centro de diálise para atender a região do Barlavento. O anuncio foi feito pelo Ministro Arlindo do Rosário que garantiu que Portugal, através do seu Ministro da Saúde, manifestou a disponibilidade em apoiar Cabo Verde na construção um centro de dialise no Hospital Batista de Sousa.

Esta terça-feira, os dois governantes assinaram dois protocolos de cooperação, sendo o primeiro com vista a formação de médicos cabo-verdianos, na área da Medicina Geral e Familiar. O segundo protocolo, rubricado entre o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge de Portugal e o Instituto Nacional de Saúde Pública de Cabo Verde, visa estreitar as relações e estabelecer as bases para um programa de cooperação técnica e institucional nas áreas relacionadas à saúde, como a investigação/pesquisa, ensino, divulgação cientifica, desenvolvimento tecnológico, vigilância epidemiológica, qualidade e gestão dos serviços de saúde, formação/capacitação e outras ações conjuntas nos diferentes domínios de intervenção das partes e de interesse estratégico para ambas as mesmas.

 

 “Nós temos necessidade de reforçar a formação pré e pós-graduada, o que permite ganhos de competência ao nível dos hospitais centrais e com isso teremos um contributo muito importante no reforço do Sistema Nacional de Saúde, acrescenta o governante”, disse Ministro da Saúde e da Segurança Social Arlindo do Rosário.

 

 Arlindo do Rosário lembrou que a cooperação com Portugal vem desde os princípios da independência e que tem sido relançada em vários períodos através dos acordos de cooperação.   O último acordo foi o Plano Estratégico de Cooperação, assinado em 2017.

 

 Arlindo do Rosário salientou que mais do que acordos circunstanciais entre governos, são acordos entre Estados que ultrapassam o tempo de cada governo. E que o que se pretende, agora, através de dos protocolos específicos, é redefinir aquilo que já está estabelecido a nível do acordo chapéu da cooperação entre os dois estados.

 

“É neste sentido que nós queremos definir através de linhas estratégicas e claras o desenvolvimento do sistema de saúde de Cabo Verde com o apoio de Portugal, nomeadamente em áreas que consideramos prioritárias como a hemodialise, a telemedicina, a formação pós-graduada, aliás já existe já uma formação pós-graduada na área da medicina.”

 

 Sobre o protocolo assinado, o Ministro da Saúde de Portugal, Adalberto Fernandes considerou que abre diferentes áreas de cooperação e reforça as que existem.

 

“A nossa determinação é que se houver vontade política de ambas as partes, duas vezes por ano, a nível político, nós fazemos um acompanhamento para ter certeza que estamos a ir bem e com a velocidade que se impõe para que os resultados sejam cada vez mais fortes e mais efetivos. Portugal manifesta abertura ao nível de financiamento, técnico e estrutural e dos recursos humanos em ajudar o governo de Cabo Verde nesse objetivo que é importante”.

 

Adalberto Fernandes disse ainda que Portugal tem um nível de cooperação com os países que integram na CPLP, salientando que com Cabo Verde o seu país tem uma maior história e uma cooperação muito ampla e profícua e que vê “com muito bons olhos a evolução notável que o país tem. Cabo Verde tem feito uma trajetória impressionante do ponto de vista dos indicadores de saúde”, reconhece.

 

Conforme Adalberto Fernandes, agora pretende-se introduzir neste ambiente de cooperação técnica “uma fortíssima liderança e vontade política para que se possa sistematizar mais, aprofundar, e naturalmente contribuir para que o sistema de saúde de Cabo Verde seja cada vez mais autónomo, nomeadamente a necessidade da evacuação de doentes seja apenas de natureza clínica”.

 

O governante português afirmou também que Portugal está disponível para ajudar ao nível da cooperação quer com os meios técnicos quer com recursos humanos e aprender com Cabo Verde o muito que se tenha feito, ao nível das doenças de emergências e doenças relacionadas com vetores, porque consideram que a experiência de Cabo Verde é de grande valor em termos de saúde pública.

 

Quanto à situação do alojamento dos evacuados, promete junto do colega da segurança social medidas conjuntas que possam melhorar as dificuldades e fazer com que as pessoas tenham um acolhimento digno enquanto estão a ser tratados.

 

O Ministro da Saúde de Portugal efetuou visitas as estruturas de saúde, nomeadamente o Hospital Dr. Agostinho Neto e a Região Sanitária de Santiago Norte.

Cooperacao Portugal e Cabo verde

 

 

 

Ministério da Saúde e da Segurança Social

 
Palácio do Governo - C.P nº 47
Cidade da Praia
Ilha de Santiago - Cabo Verde
 
Direitos de autor © 2018 Ministerio da Saúde e da Segurança Social. Todos os direitos reservados.